DISTÚRBIOS MAIS COMUNS

​"A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo.” Nelson Mandela
TDAH - Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade

 

Trata-se de um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância, podendo acompanhar o indivíduo por toda a sua vida, inclusive, na fase adulta.

Este transtorno é caracterizado por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade, manifestando-se na vida pessoal, acadêmica e social do paciente, por isso, o diagnóstico realizado com a ajuda de profissionais ligados à área (Psicopedagogo, Psicólogo e Neurologista) pode auxiliá-lo na descoberta de diferentes formas de conviver com este transtorno, possibilitando ao paciente uma considerável mudança na qualidade de vida

Disfasia

Falhas no processo de decodificação fonológica com consequente comprometimento da habilidade de compreender o que ouve são decorrentes da Disfasia, um transtorno do desenvolvimento caracterizado por inconformidades na aquisição da linguagem. O tratamento se baseia em intervenção social, abordagem fonoterápica e acompanhamento psicopedagógico ou psicológico de acordo com as necessidades do paciente

Dislexia

Consiste em um distúrbio específico caracterizado pela dificuldade na decodificação de palavras, denotando uma insuficiência no processamento fonológico.

Portanto, caracteriza-se e, uma dificuldade de aprendizagem de origem neurológica, sendo marcada pela dificuldade com a fluência correta na leitura e na inabilidade de decodificação e soletração. O portador de Dislexia quando recebe o diagnóstico possui alguns direitos em relação às formas de abordagem/aprendizagem, podendo realizar avaliações acadêmicas e/ou profissionais oralmente e com auxílio do computador, otimizando a transmissão do conhecimento e o desenvolvimento de suas potencialidades.

Disgrafia

Também chamada de letra feia, a Disgrafia caracteriza-se na incapacidade de recordar a grafia da letra, porém, não está associada a nenhum tipo de comprometimento intelectual. Sendo assim, o indivíduo que apresenta sintomas da Disgrafia deve ser compreendido em suas peculiaridades, recebendo estímulos e atendimento individualizado complementares à escola, visando desenvolver e melhorar suas habilidades motoras. Algumas características da Disgrafia consistem em: lentidão na escrita, letra ilegível, escrita desorganizada, traços irregulares: ou muito fortes que chegam a marcar o papel ou muito leves, desorganização geral na folha por não possuir orientação espacial, desorganização do texto, pois não observam a margem parando muito antes ou ultrapassando, desorganização das formas: tamanho muito pequeno ou muito grande, escrita alongada ou comprida

Discalculia

Neste caso, o fator comum é a presença de dificuldades a nível matemático, como por exemplo, noções de tempo, medidas, cálculos, problemas matemáticos, símbolos, entre outros. A palavra Discalculia vem do grego (dis, mal) e do Latin (calculare, contar) formando: contando mal, ou seja, trata-se de um impedimento da matemática que caminha junto com outras limitações, tais como a introspecção espacial, dificuldade de memorização e problemas de ortografia. Os sintomas da Discalculia são diversos e, de forma geral, apresentam-se quando a criança, adolescente ou adulto demonstram dificuldades na área da matemática, como fraca capacidade para contar, dificuldade em reconhecer números e símbolos matemáticos, compreender situações-problemas e desenvolver algoritmos.